Programa de Estágio IOB 2010

Jovens Talentos IOB é um programa para a preparação de novos profissionais, tendo como meta a capacitação e o desenvolvimento de carreira dos estagiários, preparando-os para responder aos desafios atuais e futuros da empresa.

Saiba mais sobre o programa aqui.


Novo jogo contábil

O universo de 400 mil contadores profissionais do Brasil tem nas mãos o desafio de se adaptar às novas solicitações do Fisco

Por José Luiz Amaral Machado, Administradores.com.br

O universo de 400 mil contadores profissionais do Brasil tem nas mãos o desafio de se adaptar às novas solicitações do Fisco. A Lei nº 11.638/07, que entrou em vigor em janeiro de 2008 alterando a antiga lei das sociedades anônimas (Lei nº 6404), atingindo as rotinas contábeis e ficais das grandes empresas, exigindo também forte atenção para as micro e pequenas empresas.


O objetivo da Lei nº 11.638/07, ou Nova Lei Contábil, foi criar um novo desenho na apresentação e no tratamento da vida financeira das empresas nacionais. Com isso, estamos preparando a nossa linguagem para relacionar-se com o mercado internacional, um fator irreversível frente aos processos de globalização da economia.


Evidentemente, as primeiras empresas atingidas foram as grandes, que operam com ações em bolsa e já desenvolvem uma atividade financeira nos padrões internacionais. São as pequenas e médias que têm que se ajustar, especialmente neste ano, às novas regras e em muitos casos ficarem atentas ao SPED "Sistema Publico de Escrituração Digital".


O Fisco está apertando para os pequenos empresários. Levando em conta o enorme potencial de negócios que eles têm entre si e o atual estado da economia brasileira, quanto mais rápido houver adequação aos novos padrões, mais facilidades os gestores terão nas conversações com potenciais investidores, fornecedores internacionais ou mesmo em projetos de expansão quando buscam apoio financeiro com instituições que atuam no mercado mundial.


A Nova Lei Contábil exige além de mudanças nos registros contábeis e fiscais muita atenção as rotinas administrativas e financeiras dos negócios pois são a base dos registros legais. É um novo padrão, uma nova maneira de gerenciar os procedimentos contábeis. Considerando que das empresas brasileiras, 90% são micro e pequenas, o novo padrão exige dos profissionais, que estão operando em parceria com as pequenas e médias empresas, preparo e atualização profissional para tal.


Atualmente, isso vem junto com um enorme volume de exigências do Fisco, que praticamente transformou os contadores em trabalhadores do governo à medida que existe uma demanda diária para atender às obrigações assessórias das empresas. Assim, os profissionais, hoje, ou aceitam esse desafio e preparam-se para isso associando-se ou complementado seu quadro com outros profissionais, como economistas, administradores e advogados, ou estarão sujeitos a enfrentar dias de isolamento e ameaça de ficarem à margem do processo.


É, sem dúvidas, um desafio de tirar o fôlego, certamente o maior do setor em 2010. Não há tempo para espera ou reflexão. Existe, sim, a necessidade de adequação urgente, até porque os empresários e as empresas clientes não tem tempo para esperar. O sistema empresarial hoje não aceita acomodação; ou a organização entra no jogo, ou será excluída dele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário